Bem-vindo!

O espaço Jardins Saudáveis é constituído por um blog e um website, ambos com materiais e recursos na área da Educação para a Saúde. Está aberto à participação e colaboração de vários autores que podem aceder ao blog directamente ou enviar os textos/materiais para:
gliceria@jardinsaudaveis.com

sábado, 30 de janeiro de 2010

My MS paint World" A OBRA INTERMINÁVEL

Por: Esmeralda Certo

Um jovem de 14 anos conhecido por Scorpiongold, pinta no mesmo desenho no MS Paint há 4 anos! Embora não pinte todos os dias, a obra tem já 2m de altura por mais de 2m de largura. a obra chama-se "My MS paint World"

link do vídeo: http://videos.sapo.pt/gQo7d0KTpdgSqFssG0Ga

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Educação para a Saúde

Por Albertina Pereira

"As Escolas Promotoras de Saúde: uma via para promover a saúde e a educação para a saúde da comunidade escolar"

"(...) a escola é um dos locais (embora longe de ser o único) e a Educação para a Saúde o meio que muito pode contribuir para a promoção de comportamentos saudáveis nos futuros cidadãos."
 
Conheça as razões que justificam a promoção da EPS (educação para a saúde), o curriculo na escola e muito mais, aqui.

Nada melhor que a fartura

Por Glicéria Gil

Ainda nem chegaram as máscaras, os desfiles e as gaitas e as "fichas" para a Páscoa aparecem em força pelo meu e-mail. Sei que este tipo de material até nem é apreciado por muitos profissionais da Educação de Infância que visitam este blog, mas como por aqui impera a pluralidade e estamos abertos a todos os gostos, feitios e desejos ... os interessados podem ir buscá-las aqui. 

domingo, 24 de janeiro de 2010

Projecto "Uma Janela Aberta à Família"

Por Albertina Pereira
Boletim para Pais de Crianças de 4 Anos Disponível Online
No âmbito do projecto “Uma Janela Aberta à Família”, da Administração Regional de Saúde do Algarve (ARSA) e da Delegação Regional do Algarve do Instituto da Droga e da Toxicodependência, foi criado o Boletim para pais de crianças com 4 anos de idade.
Fonte: Portal do Cidadão

Germes: Lava as tuas mãos

Esta animação explica porque, quando e como as mãos devem ser lavadas:
Clicando na mão pode aceder a outra informação e mais recursos, disponíveis para download.

sábado, 23 de janeiro de 2010

ERA UM LIVRO MUITO ACTIVO...

Por: Esmeralda Certo

by: mariaarnaldina

Frio! VRRRR!!!!! Adivinhas

O tempo... o vestuário... partes do corpo.
(para fazer download, clicar nas imagens)

Retalhos de uma profissão ou de uma vida?

Por Glicéria Gil 


Jardim-de-Infância do Fojo- 2006

Hoje de manhã cedo, vesti o meu casaco de abafo e sai para a rua. Precisava de pensar. Precisava de sentir a vida, esta vida que já vivi em 52 anos e a profissão que estruturei em 32 anos. Sim, porque a profissão estrutura-se e cada um de nós estrutura-a de acordo com as suas crenças, experiências, interacções, contextos e situações.
Pensei no que aprendi, no que a vida me deu, tirou e proporcionou. Como em todas as profissões (ou será vida?) tive momentos muito bons e outros menos bons. Trabalhei em jardins-de-infância muito distantes da minha residência. Fui umas das tais pioneiras na construção da educação pré-escolar pública em Portugal. Sou do tempo do ano preliminar (1978) … que hoje provavelmente os educadores desconhecem que houve um tempo em que existiram os CEPEs (centros de educação pré-escolar) criados em Portugal sobre a tutela do Ministério da Educação que integravam as classes de educação pré-escolar e do ano preliminar. Nunca vi um desses centros. No dia em que me apresentei para trabalhar num dos dois lugares criados no Algarve (uma sala devoluta num edifício de uma antiga escola primária fechado há mais de 20 anos, uma sala cheia de buracos, meia dúzia de carteiras apodrecidas e uma lareira) lembrei-me dos anos em que andara na escola. Do frio que sentira e da lareira que nunca se acendeu. E agora, aqui estava eu com uma lareira que queria que aquecesse, que queria que tivesse vida.
São estas minhas memórias que me identificam com a LISTA B, a lista do movimento +APEI porque quero uma Associação com vida, que se preocupe com os Educadores enquanto pessoas e profissionais, que os leve a estar cada vez mais informados e formados, que encontre os meios e as formas de os ajudar a ultrapassar dificuldades, que lute com eles e por eles, que queira o melhor para todos nós, educadores, crianças, pais, sociedade, país, mundo …

Texto publicado em http://maisapei.blogspot.com/

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ALGUÉM ME PEDIU QUE PARTILHASSE...

Por Esmeralda Certo

by: ramalingaUniversal

ALDEIA DE MORAIS "UMBIGO DO MUNDO"

Por: Esmeralda Certo

Aldeia de Morais, pertence ao Concelho de Macedo de Cavaleiros, distrito de Bragança.

Aldeia de Morais é o “umbigo do Mundo”

Escrito por Brigantia

A aldeia de Morais, no concelho de Macedo de Cavaleiros, é o umbigo do mundo! Pode parecer estranho, mas a afirmação é de relevo no mundo da geologia.

Ao que parece foi ali, precisamente ali, que há milhões de anos, se deu a colisão entre dois continentes e que depois gerou a constituição actual do planeta Terra.

Esta explicação foi transmitida ontem aos alunos da Secundária de Macedo por Eurico Pereira, professor na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e autor da carta geológica do concelho.

“Num espaço de poucos quilómetros tem concentrado aquilo que normalmente só se vê em milhares de quilómetros de extensão” explica Eurico Pereira, mentor da carta geológica de Macedo de Cavaleiros, acrescentando que “tem concentrada uma cadeia orogénica com um continente, um oceano de permeio e outro continente” que corresponde “à parte inicial de um ciclo geológico” em que “o oceano fecha dando-se a colisão dos continentes”.

O maciço de Morais é assim uma das coisas mais extraordinárias da geologia global, pois é o testemunho da colisão de dois continentes, que deram depois origem ao “Gonduana”, chamado de super continente, que milhões de anos mais tarde gerou a cartografia do mundo dividido em cinco continentes, tal e qual o conhecemos hoje. Há então em Morais vestígios de um continente que entrou em ruptura e deu lugar a um oceano. Das imensas rochas que comprovam uma crosta oceânica, os diques são como que o “bilhete de identidade”. Ainda assim “encontram-se em poucos sítios” salienta Eurico Pereira, mas é possível encontrá-los no vale do Rio Azibo “na zona subjacente ao Mosteiro de Balsamão” e na chamada ponte das Barcas, em pleno Vale do Sabor, a sul de Talhas, mas que para esteve investigador “é uma zona mais inacessível”.

Morais, Sobreda, Paradinha e Balsamão formam uma crosta oceânica completa, já visitada por escolas de Paris. Aliás no Pontão de Lamas, no IP4, vê-se onde começa o maciço de Morais, com a presença de xistos “borra de vinho” ou por exemplo no campo de futebol de Macedo, onde as rochas verdes, indicativas de basalto, provam a ruptura do continente com o oceano.


Publicado em : Notícias, Notícias

Uma Aventura na Terra dos Direitos



O que queremos para os nossos filhos

Por Glicéria Gil


Porque somos pessoas, educadores, mães, pais, avós, tios, filhos ... deixo aqui, a pretexto de "movimentos" de reflexão, introspecção e envolvimento, este vídeo já bem conhecido daqueles que visitam as comunidades virtuais. Para quem não o conhece vale a pena visualizá-lo!


quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

É água, é uma gotinha

Por Glicéria Gil

Será que existe algum Jardim-de-Infância que por estas alturas do inverno, da chuva e do frio não traga para a sua  sala, uma gotinha, gota de água mas poderia ser de outra coisa...

No Top+ downloads da barra lateral encontra-se o ciclo da água representado graficamente.
http://web.educom.pt/escolovar/agua.htm
http://www.youtube.com/watch?v=g26Wk4gpkws&feature=related

Download aqui

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Isto de andar a voar por outras bandas

Por Glicéria Gil



Retira-me o tempo que destinei para este blog e &. A solução é reencaminhar-vos para os posts que publiquei no movimento +APEI. Talvez vos interesse ler os textos. São bastante conhecidos (julgo eu!) tendo em atenção a sua autoria,  Rubem Alves e Leonardo Boff. 
Tenho a certeza que vão gostar e já agora procurem ler os textos completos. Olhem, que vale a pena.
Se quiserem contem-me o que acharam.
Boas leituras!


terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Mensagem AMI para divulgar

Por: Esmeralda Certo

Caros amigos,
Como é do V. conhecimento a AMI está neste momento a desenvolver a Campanha de Emergência Haiti.

Para a divulgação da mesma preparámos a mensagem anexa.
Peço colaboração de todos, para que façam circular esta mensagem pelo maior número de pessoas possível.
Obrigado!

FUNDAçãO AMI – ASSISTêNCIA MéDICA INTERNACIONAL
Rua José do Patrocínio, 49 | 1959-003 Lisboa | Tel. 218 362 100 | Fax 218 362 199
E-Mail: fundacao.ami@ami.org.pt | Internet: www.ami.org.pt | Blog: http://ami.blogs.sapo.pt

-------------------------

CARTãO SAúDE AMI- CUIDE DOS SEUS SEM DESCUIDAR DOS OUTROS. SAIBA MAIS EM WWW.AMI.ORG.PT OU LIGUE 808 201 382

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

"CONTA-NOS UMA HISTÓRIA"

Por: Esmeralda Certo

A iniciativa “Conta-nos uma história” – Podcast na Educação é um concurso promovido no âmbito do Plano Tecnológico da Educação (PTE), através da Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC), do Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e do Plano Nacional de Leitura (PNL).

Este concurso implica a concepção e desenvolvimento de recursos digitais áudio, que consistam na produção colaborativa ou no reconto de histórias já existentes (por exemplo, contos, fábulas, parábolas, mitos ou lendas). Pretende fomentar a dinamização de projectos desenvolvidos pelas escolas de Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico que incentivem a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), nomeadamente tecnologias de gravação digital áudio.

Destinatários: O concurso, de âmbito nacional, dirige-se a todas as escolas de Educação Pré-escolar e de 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Inscrições: A candidatura é feita on-line, através do preenchimento de um formulário em podcast até ao dia 15 de Fevereiro de 2010.

A entrega dos trabalhos decorrerá de 16 de Fevereiro a 31 de Março de 2010, no site de apoio.

Informações e apoio: Para mais esclarecimentos, poderão consultar o site de apoio ou contactar-nos através do endereço de correio electrónico: podcast@dgidc.min-edu.pt.

Fonte: DGIDC

Movimento +APEI



Está aqui, em movimento, em voo picado rumo ao destino. Conto com os leitores deste blog para a divulgação e participação num movimento que se pretende que seja de todos os educadores que diariamente lutam por uma melhor e mais justa EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA. Queremos e apostamos na qualidade das nossas práticas e essas só atingem o nível de excelência quando partilhamos conhecimento e reflectimos sobre as mesmas. E é isso que estamos a fazer. Acompanhem-nos nesta VIAGEM. Todos juntos por uma +APEI.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Momentos Jardins Saudáveis XII

PREVENÇÃO DE ACIDENTES RODOVIÁRIOS

Por: Esmeralda Certo

Este artigo foi retirado da seguinte fonte:

www.dem.ist.utl.pt/acidentes/segur_criancas.shtml

Os acidentes rodoviários são a principal causa de mortalidade infantil a partir de um ano de idade. Se quando as crianças têm febre, são rapidamente levadas ao médico, se tentam subir a um banco e se debruçam a uma janela, são imediatamente repreendidas, então porque razão os pais portugueses são tão negligentes quando se trata do aspecto mais crítico da segurança dos seus filhos?
Num estudo sobre a utilização de SRC em crianças dos 0 aos 12 anos em ambiente de auto-estrada, levado a cabo nos dias 1 e 2 de Setembro de 2001, a APSI verificou que cerca de 60% das crianças continuam a viajar no automóvel sem qualquer tipo de protecção, ao colo ou à solta:
• Dos 0 aos 3 anos, 37% viajam à solta ou ao colo.
• Dos 4 aos 12 anos, 70% são transportadas sem qualquer protecção.
Os pais são grandes responsáveis. A sua negligência ao transportarem os seus filhos sem qualquer protecção conduz a situações dramáticas, dos quais todos se deveriam envergonhar.
Quando os veículos são cada vez mais seguros e possuem um grande número de airbags , ABS, ESP, etc, é irresponsável e criminoso transportar as crianças sem qualquer protecção. Vejamos algumas desculpas típicas dos pais:
“A minha criança viaja sem cadeira mas a mãe agarra-a ao colo e segura-a.”
“Viajando no banco de trás não há problema, porque em caso de acidente os bancos amortecem.”
“A viagem de casa para o infantário é muito curta, eu conduzo com muito cuidado e não vale a pena. Só nas grandes viagens é que ponho a cadeirinha.”
“O meu problema é que o meu filho não quer ir na cadeirinha, e prefiro que vá à solta, do que vá o tempo todo a chorar.”
“Ele viaja muito desconfortável na cadeirinha, sem se poder mexer.”
“Como já tem 6 anos já não usa a cadeirinha, vai no assento do carro com o cinto posto. ”
Desde o nascimento até aos 12 anos ou até 150 cm de altura, o sistema de retenção é obrigatório. E se tiver protecções laterais ainda melhor. Os cintos dos automóveis são projectados para adultos. Lesões abdominais são drasticamente reduzidas pela utilização do “banquinho”.
As crianças são uns seres maravilhosos e interessantíssimos que passam a vida a pôr os pais à prova. Às refeições, quando não se querem vestir, quando não querem ir à escola ou quando não querem sair da escola. O mais interessante é que nestas situações os pais geralmente não cedem. Então porque razões muitos dos pais cedem quando está em causa a segurança dos seus filhos? Se a criança viajar com a cadeirinha adequada e com os cintos postos, reduzem-se em 70 a 80% as consequências de um acidente. A cadeirinha é, tal como o seu quarto, um espaço da própria criança que, desde que seja educada nesse sentido, nunca mais larga.
Ou seja, desde que as crianças sejam consciencializadas para a forma como as transportamos, elas próprias exigem a sua segurança.

Os atropelamentos

Os atropelamentos representam uma das principais causas de mortalidade, particularmente para os jovens e adolescentes. No que respeita às crianças esta não é muito significativa, embora nesta idade devam ser introduzidas às crianças alguns conceitos e ideias importantes para o futuro. Pais e educadores têm um papel importante a desempenhar. Atravessar correctamente a estrada nas passadeiras e nos semáforos são aspectos que devem ser enfatizados desde cedo, para prevenir que, mais tarde, quando as crianças crescerem e ganharem alguma autonomia, não sejam vítimas fáceis de atropelamentos.

www.dem.ist.utl.pt/acidentes/segur_criancas.shtml

ALGUNS CONSELHOS A SEGUIR RIGOROSAMENTE:

BY: juliabento

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

NA VIDA , SÓ O PRESENTE EXISTE, O TEMPO ENCARREGA-SE DE TUDO....

Por: Esmeralda Certo

Não podia deixar de o fazer.
Esta mensagem é dedicada a todos os seguidores e colaboradores deste BLOGUE.
Claro que não podia deixar de dedicá-la à Glicéria, a quem muito estimo e que neste novo ano, consiga concretizar todos os seus projectos de vida com enorme sucesso.


BY: joanirse

CURIOSIDADES "NUNCA É TARDE PARA APRENDERMOS"

Por: Esmeralda Certo


BY:joanirse

Ideias que funcionam

Por Glicéria Gil

Imagem "roubada" ao blog Mil Sorrisos Coloridos

Boas práticas de Educação para a Saúde na componente de apoio à família encontrei aqui

A escola dos sentidos

Por Glicéria Gil 


O conceito existe mas nunca tinha sido aplicado no nosso país. A primeira escola dos sentidos, para despertar emoções e reacções espontâneas, será erguida na Serra do Pilar, em Vila Nova de Gaia. Mais do que uma estrutura física de betão, construída tijolo a tijolo, o espaço tem uma filosofia que trespassa paredes. A escola será um espaço aberto à cidade. Pais, alunos, professores, familiares, cidadãos terão acesso à sala de estudo e à biblioteca, de forma a incentivar a partilha de experiências e a troca de ideias entre diferentes gerações, e poderão almoçar ou lanchar no estabelecimento de ensino. 

in Educare.pt e http://www.arquitectura.pt/forum/f29/gaia-escola-sentidos-joaquim-massena-14111.html


Também poderá querer conhecer a Universidade dos sentidos  mas esta não é em Portugal. Uma vista de olhos rápida e ficamos a conhecer o currículo dos 5 sentidos ... 

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Doença / vírus da estalada


Não é caso para grandes preocupações, mas o certo é que têm surgido  alguns casos de afecção pelo chamado "vírus da estalada", cujos principais sintomas são faces vermelhas e quentes e corpo manchado. No primeiro dia uma criança e no segundo já mais três...


É extremamente contagioso e o período de contágio precede o aparecimento da vermelhidão.
Por isso há que estar atento aos seguintes sinais:

Doença da Estalada 

Também conhecida como a 5ª doença - Manifesta-se por uma vermelhidão nas bochechas da face, as quais podem alastrar por todo o corpo. É contagiosa e não há tratamento específico, sendo receitado normalmente um creme gordo. A doença passa em pouco tempo. Parece que a criança foi esbofeteada até estalar mesmo, daí o nome.  
(Fonte: http://advogadadodiabo.bloguepessoal.com/42357/Papas-babados-Continuacao-do-artigo-Os-nossos-pequenos-genios/)

Se a criança os apresentar, não deve permanecer no jardim de infância.
Podem também estar associados sintomas gripais, como dor de garganta ou cabeça e febre.

Há que ter paciência e esperar que passe!

Stanley, boneco de neve II

Aceitei o desafio da Glicéria.
Não obedeci à tradução, pois trata-se de uma rima. Deixo em dois formatos (word e ppt) abertos.
Word (clicar na imagem) PPT (clicar na imagem)

O boneco de neve

Por Glicéria Gil

Sem tempo para a tradução insiro versão em inglês. Coloquei os pdf no meu domínio pessoal porque é mais rápido que na Box.net. Se existirem problemas no download é só dizerem. A tradução vinha mesmo a calhar. Se alguém se disponibilizar...




Download aqui

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Poema... adivinha... Inverno

Adivinha (clicar na imagem)

Poesias (clicar nas imagens)

Em dias de frio e neve... leituras quentinhas

Depois do desafio lançado pela Glicéria e de abrir a janela e ver tudo branco, folheei o livro «Um dia de Tempestade», da editora Educação Nacional. Trata-se de um apelo aos sentidos: escutar a deliciosa história, observar as belíssimas ilustrações e seguir com os dedos o percurso do gorro, do cachecol e das luvas. A agasalhar a história, conta-se ainda com os valores da amizade e da generosidade.


Boas leituras!

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

ACRÓSTICOS

Por: Esmeralda Certo

Os acrósticos geralmente são utilizados de uma forma lúdica, visam estimular a criatividade e imaginação das crianças, no ensino.
São textos poéticos, onde a primeira letra de cada frase pode formar um verso ou palavra.
O vocábulo teve origem do grego "ÁGROS" (extremo), e "STIKHOS" (linhas em verso).


BY:iolomarina

Ver, Ouvir e Cheirar o Mundo

Por Glicéria Gil

Se derem uma voltinha pelo blog encontram vários posts sobre os 5 sentidos. O link que aqui deixo enriquece os conhecimentos que temos sobre o assunto, o que contribui para uma boa informação e formação sobre a temática. Existem duas versões: Inglês e Espanhol.



Já que estamos em fase de informação sobre questões relacionadas com o corpo humano fica aqui o acesso a um site que apresenta umas ideias úteis para o planeamento de actividades nos Jardins-de Infância e escolas.



quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

2010 - Ano Internacional da BIODIVERSIDADE

Logótipo do Ano Internacional da Biodiversidade

O logótipo inclui elementos iconográficos que representam o alcance da biodiversidade, que compreende aspectos marinhos, da flora e da fauna. Juntos demonstram que a biodiversidade é a vida e como nós, seres humanos, encontramos o nosso lugar nesta viagem.



Poster do Ano Internacional da Biodiversidade (clicar na imagem)

Já que andamos a falar de Ciência

Informação sobre o livro e acesso a três poemas

Plataforma obesidade infantil





As voltas que a água dá




Por Glicéria Gil 


Ju é uma pequena joaninha mas já sabe muito bem o que quer ser quando for grande: desenhadora! Não é por acaso que todos a conhecem por Juju Picasso! O que ela mais gosta de desenhar são gotinhas de água. A aventura começa quando, em plena criação, uma linda gotinha de orvalho desaparece. Onde estará ela? No rio, nas nuvens, num floco de neve, numa pedra de granizo? Alguém viu a gotinha de água? Depressa Ju vai perceber que as gotinhas de água pertencem a um ciclo e estão em constante mudança. Até podem cair do céu em pedrinhas de gelo! Não é magia… é mesmo ciência!
fonte:http://www.ua.pt/fabrica/PageText.aspx?id=6151

post publicado primeiro aqui  .Mais sobre a água publicado ali



NOVO CENTRO ESCOLAR EM REBORDÃOS

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

OCEPE em Cabo Verde? Mas o que eu queria era o guia de trabalho

Por Glicéria Gil

Em Julho de 1978 terminei o curso de educadora de infância na Escola Maria Ulrich. Em Setembro desse mesmo ano parti rumo a Lisboa para frequentar durante 20 dias, um curso intensivo de preparação para o ano preliminar. Dias mais tarde, a 1 de Outubro abri a porta de uma sala de uma escola primária que estava fechada há mais de duas décadas, sem o mínimo de condições para receber um grupo de crianças. Fiquei colocada nesse local durante três anos, ao fim dos quais a sala apresentava-se composta e funcionava em pleno. O DGEB realizou nessa sala, o primeiro encontro de final do ano com todos educadores da rede pública do Algarve (perto de uma dezena). Nessa altura tínhamos este guia de actividades

Andei a ver se encontrava o Guia de Trabalho no monte de papelada que caracteriza o meu espaço de trabalho, mas nada. Encontrei este mais recente. Alguma relação com o que escrevi antes? Nenhuma, com excepção que uma das supervisoras técnicas deste último foi uma das primeiras educadoras destacadas no ME e dinamizadora do tal primeiro encontro no Algarve. Outros tempos, outras realidades, outras experiências. Para o que havia de me dar!

E continua a chover!

Por Glicéria Gil

Que chova, mas moderadamente ... mas o que agora nos interessa é a Ciência. No nosso caso despertar. Há quem defenda que assim estamos a criar nas crianças a predisposição para o conhecimento e a combater a iliteracia científica.
Olha, deixou de chover!

Posto isto nada melhor do que indicar alguns sites de interesse:

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Lá fora chove! Actividades sobre a ÁGUA

Lá fora chove!

Como elemento fundamental à vida, a água está presente na maioria das actividades do nosso dia-a-dia, sendo também uma fonte de brincadeiras e prazer para as crianças.
Actividades diárias de higiene, de alimentação ou do brincar proporcionam às crianças um grande número de explorações informais.
Nesta descoberta do mundo, deixam-se duas propostas implícitas e sistematizadas, de exploração de conteúdos relacionados com o processo de misturas e de dissolução em água.
Clicando nas imagens pode aceder às planificações e aos instrumento de registo
Misturar com água

Dissolução

Não sei se é da chuva, se é do frio

Por Glicéria Gil

O que sei é que aguardava a abertura do ano no JS com um post de uma das colaboradoras... Por isso demorei a cá postar. 4 de Janeiro de 2010, chuva, vento, frio... e o 2º período prestes a entrar pela sala dentro em companhia das botas de borracha, do chapinhar na água, do gorro enfiado até aos olhos, do nariz vermelho, das luvas ... que não se tiram, ora bem. Vá espreitar discretamente para ver a maior ou menor dificuldade com que dedinhos antes desnudados adaptam-se ao movimento, rodopiam, mostram destreza, deixam a marca azul, verde, amarela na folha branca, agora colorida. Se não fossem essas luvas como é que conseguíamos falar do frio, sentir o frio, observar o frio, gostar do frio, respeitar o frio. Mas o que é o frio e porque agora está frio aqui e no Brasil está calor? Certezas, temos. São as luvas que mantêm as mãos quentinhas!!! E porque será?

"Assim , a educação para a saúde e higiene fazem parte do dia-a-dia  do Jardim-de-Infância, onde a criança terá oportunidade de cuidar da sua higiene e saúde e de compreender as razões porque lava as mãos antes de comer, se agasalha no inverno ..." 
in OCEPE (1997), p.84 


Se hoje estivesse a trabalhar com as crianças era mesmo isto que iria fazer. Pôr a descoberto os saberes, guardá-los nas "luvas" e explorar o mundo. Ah, tanta coisa para conhecer e para descobrir. Pode ser que eu descubra o sentir e o pulsar da educação aqui, mesmo pertinho de mim. Lá fora chove! 

clicar para aumentar

Inquéritos aos Educadores de Infância

Os questionários infra destinam-se aos educadores de infância e pretendem saber a sua opinião sobre alguns aspectos da Educação para a Saúde. São pequenas sondagens que irão permitir ter uma ideia das percepções dos educadores que visitam este blog. Para participar basta escolher a opção que melhor caracteriza a sua opinião tendo em atenção que não existem respostas certas ou erradas.
Se tiver disponibilidade agradeço a colaboração.
Glicéria Gil

Utiliza na sua prática pedagógica os materiais/recursos de Educação para a Saúde colocados neste blog?

Como educador de infância abordo ... (escolha a resposta com que mais se identifica)

A escovagem dos dentes no meu Jardim de Infância

O que mais gosta ou gostaria de encontrar neste blog

Quais as áreas existentes na sua sala?

Visita o blog Jardins Saudáveis

Ocorreu um erro neste dispositivo